23 de dez de 2010

lebkuchen

26 de out de 2010

13 de out de 2010

nova etapa

Não sei se sabem que estou na Alemanha.. Pois é, passei uns tempos brigando por um visto e finalmente consegui no mês passado! yeah! Agora moro (por 3 meses) na simpática e verde Freiburg im Breisgau. A cidade é conhecida como uma das mais pró-verde do país, cada um tem sua bicicleta (eu já tenho a minha), todos separam o lixo em 4 sacos diferentes e têm várias lojinhas/marcas de produtos orgânicos espalhados por aí. 

Cá entre nós, uma delícia poder ir ao mercado e comprar farinhas/fermento/sal, tuuuudo orgânico! Eu, como não sou boba nem nada, quando completei uma semana no meu apto, já fui ali na cozinha e organizei a confecção do meu primeiro pão do lado de cá do mundo.

Claro que tive que colocar centeio na massa, caso contrário meus colegas de apto já iriam me jogar pela janela.. Aqui, decididamente, não curtem muito o pão 100% branco e fofinho que existe por aí (muitos dizem que os pães franceses são esquisitos =O!!!!!!)

Enfim, fiz meio a meio centeio e trigo branca, com fermento fresco. A técnica que usei foi a mais fácil possível, já que não tenho minha KitchenAid aqui.. 

- Misturei 350g de água morna com 8g de fermento fresco. Adicionei 300g de farinha de trigo branca, 200g de farinha de centeio e 15g de sal. Misturei os ingredientes com a mão, sem muito esforço nessa etapa. NÃO precisa sovar a massa, somente misturar bem os ingredientes e colocar em uma vasilha tampada para crescer.

- Eu fiz essa mistura de manhã, então deixei o pote tampado, com a massa crescendo bem devagar (por isso só 8g de fermento para 500g de farinha) até mais ou menos as 22h e daí dei o formato no pão. Coloquei em uma forma untada e deixei crescer em temp. ambiente por 1 hora. Depois, geladeira! Sim, GELADEIRA! O coitadinho passou uma noite fria e na manhã seguinte foi direto pro forno.

- Passei água na superfície do pão antes de ir ao forno e também depois que já tinha formado uma casquinha lá dentro. Passar água com pincel na superfície do pão ajuda a formar a casquinha gostosa que todos adoram.. E é importante passar também depois que ele já está lá dentro, pois já está bem quente, aumentando o resultado. 

24 de ago de 2010

pizza


A clássica pizza italiana feita em plena São Paulo. A que aprendi lá no meio da Toscana com a italiana mais simpática que tem! Viola se tornou uma amiga, que quero guardar pra sempre.
Então, Viola, essa vai pra você!

A massa fiz a mesma do pão "italiano", mas coloquei um pouco de azeite. Deixei crescer a bola grande até dobrar de volume e depois dividi em 4 bolinhas. Dobrou de volume denovo e abri pra montar a pizza.

Não pré assei a massa. Abri com as mãos, coloquei na forma. Molho de tomate, ingredientes e forno ao máximo todo o tempo!

O molho de tomate fiz assim: 1 lata de tomate pelatti batida no mix com sal, pimenta, azeite, salsinha e cebolinha.

Sabores: -abobrinha, alho poró e queijo de cabra; -tomate cereja, champignon, manjericão e queijo de cabra; -batata cozida e alecrim.
O segredo é cortar os ingredientes fininhos (menos a de batata) e deixar de "molho"no azeite sal e pimenta por pelo menos 30minutos. Pega um gosto e fica uma delícia!

21 de ago de 2010

abóbora

Sou viciada em abóbora. Lembro da primeira vez que fui ao mercado em Buenos Aires, que vi uma cabochá. O pensamento logo foi: imagina viver sem cabochá que difícil! Já ali comprei um pedaço e fui pro meu micro lindo apto..

Depois, já em sampa, meu prof da academia (obrigada, Marcel!) ficou sabendo que fazia pão e encomendou um de abóbora. Abóbora? Nunca fiz, mas posso fazer. Porque não?

Depois de 2 testes achei a receita perfeita. Cuidado! Vicia e agrega quilinhos...

250g de cabochá cozida e escorrida
100g de leite
85g de açúcar
85g de óleo
30g de manteiga
600g de trigo (pode ser 400g integral e 200g branca)
5g de fermento instantâneo seco
1 ovo
8g de sal

- Bater a abóbora, o açúcar, o leite e o ovo com o fuet na batedeira até ficar bem cremoso e a abóbora desmanchar bem. Adicionar o trigo, o fermento e o sal. Bater com o gancho até que a massa esteja unida. Adicionar a manteiga derretida e o óleo, trabalhar a massa até estar bem lisa e desenvolvida.
- Fazer uma bola e deixar crescer até dobrar de volume. Dar o formato (eu sempre faço pão de forma) e deixar crescer até dobrar de volume.
-Ligar o forno no máximo e colocar os pães para assar (junto colocar o gelo). Abaixar a temperatura para 200C e terminar de assar.

Sabe o pão perfeito pra comer com manteiga e cafezinho? É esse! Aproveite..

18 de ago de 2010

nhac. crec.

No começo do mês foi aniversário da minha sobrinha fofa e claro, tia lulu foi a responsável pela comilança geral! Petiscos.. Daí começei a lembrar da viagem, tentando buscar alguma coisa na memória. E não precisou muito tempo pra vir à cabeça o tal do taralli da Itália.

Fui a internet atrás de uma receita boa e encontrei uma boa daqui, ó!
(http://www.wildyeastblog.com/2009/02/10/pepper-fennel-taralli/) 
340g de farinha de trigo
90g de farinha de glúten
0,7g de fermento instantâneo seco
7g de sal
2,5g de pimenta do reino moía
188g de água
30g de azeite
45g de vinho branco

-Misture os ingredientes na batedeira e bata a massa até ficar homogênea. Divida-a em 24 pedaços, faça bolinhas e dê o formato.
-Deixe crescer por 2 horas coberto com plástico. 
*A receita original manda fritar um por um no azeite, mas como não podia fazer isso no meio da confusão de pães, bolos, bolinhos da festa, resolvi assar direto. (eles fritam e depois assam por mais 40 minutos a 200C).
-Assar a 200C até que todos fiquem douradinhos e bem assados. O taralli é bem seco e crocante.


12 de ago de 2010

.

pra matar a vontade de comer.